Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
prensa francesa

Prensa Francesa: tudo que você precisa saber sobre esse método

O preparo do café é um convite instantâneo para a experiência: a segunda bebida mais popular do mundo (atrás apenas da água) é um convite a um ritual completo. Nesse sentido, a prensa francesa traz, na simplicidade, a elegância de um café potente e intenso na xícara.

No caso do café coado, por exemplo, os óleos dos grãos são retidos durante o processo de filtragem. Esse, inclusive, é o método mais popular no Brasil. Depois de pronta, a bebida aparece de um jeito equilibrado, leve e descomplicado na xícara.

Isso ocorre porque os óleos dos grãos ficam no filtro, resultando em uma bebida agradável e limpa. Já o processo da cafeteira prensa francesa tem uma proposta bem diferente. A extração do café ocorre após infusão e pressão. Assim, esse método entrega um café intenso, encorpado e muito aromático.

A história prensa francesa

A proposta de café para prensa francesa surgiu há muitos anos. Primeiramente, é importante esclarecer que o nome tem origem no local de nascimento. Segundo pesquisadores, esse método de preparo foi criado na França em 1850.

Contudo, ao longo da história, muitas versões e patentes da cafeteira foram criadas e brigas judiciais travadas a fim de conquistar a co-criação dela. Por isso, a criação da prensa francesa inox (mais próxima do modelo comercializado hoje) só foi registrada em 1929.

A versão idealizada pelo designer italiano Attilio Calimani não foi a única que o mundo conheceu, visto que, depois de passar por algumas revitalizações, o designer Faliero Bondanin solicitou a patente da criação em 1958.

Na prática, o método não necessita de filtro na extração do café, pois o processo é realizado a partir de uma tela fina que fica no êmbolo (uma espécie de peneira) da cafeteira. O mais incrível de todo o processo é a forma manual de fazer o café, que não exige energia elétrica.

As patentes e a criação do método

Na história, o que mais se viu foram patentes da prensa francesa pequena e das versões maiores. Porém, a popularidade do método veio mesmo em 1965 nas telas dos cinemas mundiais. O filme “The Ipcress File” mostrou o ator Michael Caine com a cafeteira como companhia inseparável.

Depois disso, o grande Peter Bodum ajudou a endossar ainda mais o jeito de preparar o café a partir da infusão. A empresa com seu sobrenome iniciou a produção da prensa francesa e da cafeteira em 1970.

Bodum era tão espetacular que uma citação feita por ele na época de idealização da empresa é utilizada ainda hoje como guia de marketeiros e publicitários de todo mundo: “Um bom design não precisa ser caro”.

A prensa francesa no Brasil

prensa francesa

Foi exatamente isso que ele pensou durante todo o projeto da Bodum. No Brasil, aliás, a marca é quase sinônimo do método, já que as pessoas aqui associam à empresa a idealização do preparo que ganhou os corações dos apaixonados pelo café.

A disseminação foi rápida, principalmente pela facilidade de preparo. No caso do copo com prensa francesa, a forma individual de preparo do café agradou. Aqueles que tomam muito café se sentiam aliviados com a alternativa rápida de fazer uma bebida mais intensa e viver experiências sensoriais.

Como fazer café na prensa francesa

O preparo de café no copo de prensa francesa é muito simples. Você precisa de 180 ml de água quente e 2 colheres de pó de um café, preferencialmente um superespecial, acima de 84 pontos. Assim, todo o convite à experiência de tomar um bom café chega de maneira completa à sua boca.

No caso da cafeteira, a simplicidade é a mesma. A quantidade do pó e da água depende do tamanho dela. Contudo, para cada 200 ml, você pode usar 10 g de pó (equivalente a 2 colheres de café).

Em relação à moagem, ela precisa ser mais grossa, assim o pó e a borra não passarão para a bebida. A vantagem de não necessitar de energia elétrica é um ponto favorável e contribui para a versatilidade da prensa francesa. Além disso, a facilidade de limpeza é outro atrativo.

O café em grãos do Ricardo Tavares é uma ótima dica para utilizar esse método, já que as notas sensoriais de frutas secas combinam perfeitamente com a intensidade que ele pede.

Receita Coffee ++ na prensa francesa!

Quanto à quantidade de pó de café, você pode pensar em 10 g do café em grãos Ricardo Tavares para cada 200 ml de água. Porém, esse é o nosso jeito predileto, e não existem regras da forma ideal: o melhor jeito de tomar café especial é aquele que lhe deixa mais feliz. Para a temperatura da água, é sugerido entre 85º e 95º.

Caso você não tenha termômetro, espere a água ferver (levantar as bolinhas) desligue e aguarde cerca de 50 segundos. Coloque essa água na prensa francesa com o café. Sim, tudo junto e misturado. Espere 4 minutos e observe a haste, que precisa ficar para cima.

Passou o tempo? Segure e pressione o êmbolo (recipiente com peneira) com capricho e observe se o pó foi prensado na cafeteira. Pronto! Aprecie sem moderação e entenda, na boca, o que fez da prensa francesa tão famosa pelo mundo.