Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
quem inventou o coador de café

Conheça mais sobre quem inventou o coador de café

Você já chegou a pensar quem inventou o coador de café? Esse acessório é bastante comum na rotina de diversos #cafequizados que têm o café como uma das principais fontes de energias logo pela manhã. Ele é responsável por coar o café moído junto à água filtrada, deixando a bebida prontinha para ser consumida.

Na correria do dia a dia, acabamos não pensando sobre como surgiram esses artefatos que utilizamos para preparar nosso café, seja as máquinas, seja o próprio coador. É muito fácil banalizar o que já faz parte da nossa rotina há tanto tempo.

Antigamente, o coador de café era considerado uma ideia revolucionária e até hoje pode-se dizer o mesmo. Contudo, dada a frequência com que o usamos, esquecemos que houve um dia em que ele nem sequer existia. Já imaginou preparar o seu “cafezinho” sem a ajuda dele?

Pensando nisso, trouxemos a história de quem inventou o coador de café de papel: uma mulher que revolucionou a vida de qualquer amante da bebida. A partir daí, o preparo se tornou muito mais prático. Afinal, quem não gosta de ter sua bebida favorita prontinha na mesa todos os dias de manhã ou no final de tarde?

Melitta Bentz: a criadora do coador de café

Melitta Bentz vivia em Minden, Alemanha, e era uma dona de casa insatisfeita com o coador de pano. Segundo ela, a borra no fundo da xícara era responsável por tirá-la do sério, além do gostinho de café ficar mais amargo que o desejado. Então, ela passou a experimentar novas ideias para contornar esses pequenos estresses.

A partir disso, em 1908, ela começou a coar o café em uma caneca de latão com o fundo cheio de furinhos, com a ajuda de um mata-borrão, que nada mais é que um pedaço de papel que cobria os furos. O resultado não foi o esperado, mas serviu para notar algumas melhorias consideráveis.

Em seguida, Melitta e seu marido, Hugo Bentz, analisaram o que poderiam aperfeiçoar na lata e o tipo de papel mais adequado. Em 20 de junho do mesmo ano, com o resultado desejado, os dois oficializaram o registro como quem inventou o coador de café algumas semanas depois, em 8 de julho. Deu para notar a empolgação em volta do mata-borrão, não é?

M. Bentz

Em 15 de dezembro, Melitta criou a própria empresa, chamada M. Bentz, com sede no apartamento onde morava. Hoje, o coador de café é fabricado em mais de 60 países, mas inicialmente ele não era terceirizado, e sim feito manualmente por ela e sua família.

Com a ajuda do marido e seus dois filhos, Horst e Willi, Melitta manteve a produção e as entregas em dia. Para se ter uma ideia de como a empresa foi crescendo, 7 anos depois, a M. Bentz já possuía 15 funcionários e uma nova sede em uma área maior e propícia ao trabalho.

A marca foi evoluindo, assim como os materiais usados para a fabricação do coador, que chegou a ser de alumínio, porcelana e cerâmica, além das cores típicas e já conhecidas atualmente: verde e vermelho.

Mudanças na gerência

Em 1920, Horst Bentz assumiu a gerência e espalhou os produtos pelo mundo. Apenas 2 anos depois, o filtro de café, feito de papel, passou a ser exportado para a Suíça e República Tcheca. O negócio passou a dar muito mais visibilidade para a empresa que, em 1923, mudou o nome para Bentz & Sohn.

Seguindo na linha do tempo, em 1929, novas instalações foram feitas, com mais metros quadrados. Nessa época, a empresa já ocupava 10 unidades de produção e tinha mais empregados que jamais cogitaram: mais de 4 mil. Evolução, não é? Nesse mesmo ano, a Melitta foi registrada pela primeira vez.

Quatro anos na frente, os filtros de papel e o sistema de filtro cônico foram patenteados. Desde então, a marca se fixou na mente dos consumidores, seguindo até o ponto em que vemos hoje, faturando milhões de euros por ano e estando presente na casa de diversos #cafequizados.

Chegada dos produtos ao Brasil

quem inventou o coador de café

Tudo começou em 1968, em Santo André, quando a Melitta chegou em um país onde coar café com pano já fazia parte da nossa cultura. Com a chegada do filtro com papel filtrante e do porta-filtro de plástico, as coisas começaram a mudar. O sucesso foi tanto que o produto se espalhou pelo Brasil com novo impacto cultural.

Em 1978, a Melitta já estava tão inserida na nossa rotina que a empresa começou a pensar além: lançou uma cafeteira elétrica com filtro de papel. A preocupação com os produtos era tremenda, por isso a marca começou a dar uma atenção especial para a torrefação, a moagem e o empacotamento de café.

Foi a partir desse olhar visionário que uma fábrica de nome Modelo de Torrefação e Moagem de Café Melitta surgiu em 1980. Junto à inserção de computadores na sociedade, a Melitta deixou o controle do trabalho para eles. Lá, os grãos de café passavam por uma criteriosa seleção e eram estocados em um silo de alumínio.

Em 1983, a empresa ampliou os horizontes e lançou o café descafeinado em duas versões: moído e torrado. Desde então, eles seguiram pelo mesmo pensamento de atender a todos os consumidores do Brasil até chegarem aonde estão: com um impacto cultural ainda mais acentuado, além do sucesso de vendas em todo o país.

O café especial da Coffee ++

Conseguiu conhecer um pouco mais de quem inventou o coador de café? Esperamos que sim! Por isso, é hora de tirar os cafés da Coffee ++ do armário. Com a ajuda do seu coador preferido, você pode preparar os nossos cafés moídos ou em grãos e ter um momento especial e aconchegante.

A partir do nosso café clássico, o Cerrado Mineiro, ou Chapada e Mantiqueira de Minas, você tem uma experiência super especial com grãos 100% arábica de notas sensoriais marcantes. Já sabe qual vai escolher?