Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
café faz bem ou mal para o coração

Saiba se o café faz bem ou mal para o coração!

O café é o motivo de alegria para muitas pessoas, mas, pensando sobre saúde, muita gente tem dúvidas se o café faz bem ou mal para o coração. Como é uma bebida milenar, há inúmeras lendas que circulam as xícaras.

Porém, aqui priorizamos a informação de qualidade, então decidimos usar o posicionamento da Organização Mundial de Saúde (OMS) dizendo se o consumo de café faz bem ou mal para o coração. Segundo a entidade, o consumo moderado não gera malefícios. Entretanto, cada organismo pode reagir de uma forma diferente à ingestão de cafeína.

Por isso, não é possível afirmar completamente que o café faz bem para o coração. Contudo, em geral, a ingestão de 400 mg de cafeína contribui para a prevenção de doenças cardíacas, segundo o médico e pesquisador Darcy Ribeiro no livro “101 Razões para tomar café”.

Café causa doenças cardíacas

De acordo com as análises do médico, não existem comprovações científicas de que café faz mal para o coração, já que não há levantamentos que liguem o consumo de café ao surgimento de doenças cardiovasculares.

Contudo, não há como negar que algumas pessoas sentem que o café acelera o coração. Isso pode estar ligada ao estímulo proporcionado pela cafeína, que pode gerar sensações de ansiedade quando se ingere a substância de modo exagerado.

Ainda assim, é importante deixar claro que a cafeína não é exclusiva do nosso cafezinho. A substância está presente em alguns chás, medicamentos e refrigerantes. Desse modo, é fundamental entender o consumo individual bem como as preferências de cada pessoa.

O café faz bem para saúde?

Para saber se café faz bem para saúde, é preciso definir o que é um consumo moderado. Sendo assim, a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é a ingestão de 3 g de cafeína a cada quilo de peso corporal, seja no café, seja em outras bebidas disponíveis.

Aliás, a própria OMS explica que, para saber se café faz bem ou mal para o coração, é importante entender as particularidades de cada organismo. Inclusive, no caso do consumo moderado de café, há comprovações de benefícios para a saúde, como proteção contra doenças cardiovasculares.

Os benefícios do café para a saúde

De acordo com pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP), os compostos fenólicos do café (antioxidantes naturais) são metabólicos e têm ação preventiva contra doenças. Outro ponto importante são os benefícios nutricionais, como a inibição de radicais livres.

Afinal, café faz bem ou mal para o coração? O médico Roberto Kalil afirma que levantamentos mostram que o consumo moderado traz benefícios ao coração, bem como ao organismo em geral.

Por outro lado, a Sociedade Americana de Cardiologia sinaliza que o consumo muito intenso de café faz mal para o coração, porque pode provocar o aumento da pressão arterial. Por exemplo, tomar aproximadamente 10 xícaras de café pode trazer malefícios ao organismo.

café faz bem ou mal para o coração

Café causa doenças cardiovasculares?

Hipertensos podem tomar café e esse hábito pode reduzir os riscos de doenças cardiovasculares em até 10%. Além disso, o consumo da bebida protege de doenças como Parkinson e Alzheimer, além de ter ação estimulante natural em todo o organismo.

Contudo, os profissionais da saúde explicam que o café faz mal, principalmente, para quem não tem hábito de tomá-lo, mas decide iniciar a ingestão. Assim, como o corpo não está acostumado com o estímulo, isso pode causar taquicardias, por exemplo.

O consumo excessivo de cafeína provoca os estímulos excessivos ao corpo. Então, para quem não abre mão do cafezinho, mas quer evitar a sensação acelerada no organismo, o café especial é a solução. Os grãos 100% arábica têm 50% menos cafeína, mas aspectos sensoriais potentes.

A cafeína nos grãos de café especiais

Na Coffee ++, todos os cafés são 100% arábica e pontuados acima de 84 pontos, segundo as regras internacionais da Specialty Association Coffee (SCA). Isso significa que, conforme as avaliações de jurados, eles apresentam doçura natural, acidez equilibrada e aspectos sensoriais potentes. Escolha entre as versões em grãos, moído, drip coffee e cápsulas compatíveis com máquinas Nespresso

Além disso, todos são cultivados por produtores premiados no Cup of Excellence, principal concurso de qualidade para cafeicultores do mundo promovido pela SCA. O Geisha, por exemplo, foi escolhido o melhor café do mundo em 2018.

Produzida em Minas Gerais, na região da Chapada de Minas, essa variedade foi cultivada pelo produtor Ricardo Tavares. A escolha dela mostrou ao universo do café que, além de ser o maior produtor de café do mundo, o Brasil também é reconhecido pela qualidade.