Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
cafeteira aeropress

Conheça mais sobre a Cafeteira Aeropress

Você já se deparou com uma cafeteira Aeropress? O nome é bastante curioso, afinal remete a um avião ou uma máquina de café expresso. Na verdade, esse método de preparar sua bebida é supercriativo, inovador e prático, ideal para os dias mais corridos.

Segundo o criador da cafeteira Aeropress, Alan Adler, ela foi pensada para facilitar a vida do #cafequizado. O intuito dela era deixar o preparo mais prático e simples, resultando em um café encorpado e forte, assim como um expresso. Bom demais da conta, não é?

Quais são as peças da Aeropress?

Antes de aprender como fazer café na cafeteira Aeropress, é preciso entender um pouco mais sobre cada peça da cafeteira. Ela é dividida em 8 partes, cada uma com uma função indispensável.

A primeira é o êmbolo, ou pistão. Ele é responsável por formar o vácuo e pressionar o ar para baixo à medida que o café é extraído. É nessa peça que se encaixa uma tampa que impede o ar de escapar conforme o êmbolo é pressionado, a ponta do pistão.

O tubo externo é onde ocorre a mistura de água com café antes de ele ser inserido no pistão. Na base dele, é encaixada uma peça circular (suporte de filtro) em que se coloca o filtro de papel, que filtra a bebida enquanto a pressão é feita.

Além disso, há um suporte para escaldar o filtro, uma colher medidora para auxiliar a separar o pó de café, um porta-filtro e um revolvedor para mexer o café durante a infusão dentro do tubo externo. Parece complicado, mas é mais fácil do que aparenta!

Como funciona a Aeropress?

cafeteira aeropress

Agora que você já entendeu um pouco sobre a cafeteira, é hora de aprender o mais importante antes de ter a sua Aeropress: como funciona! O primeiro passo é colocar a água para esquentar. Vamos considerar 200 ml de água para 50 g de café, e evite a água da torneira, pois o cloro reage mal com os óleos essenciais do grão.

Para preparar o seu café Aeropress, há dois métodos já conhecidos: o tradicional e o invertido. O primeiro é mais simples e, como o nome sugere, o mais comum também. O segundo já é mais popular entre os baristas. Vamos mostrar o passo a passo de cada um deles. Está pronto?

Método tradicional

Tendo separado a quantidade de água e café, é hora de montar a sua Aeropress cafeteira. Primeiramente, coloque o filtro na base ‒ aquela peça com os furinhos, sabe? ‒ e o escalde. É importante nunca pular essa etapa! Depois, enrosque-a no tubo e coloque o café.

Depois, apoie o tubo no local onde você vai servir o seu café, uma xícara ou uma caneca, por exemplo. Em movimentos circulares, derrame a água lentamente até o líquido quase transbordar.

Espere entre 10 a 30 segundos para a infusão acontecer. Em seguida, mexa a crosta de pó por 10 segundos até ela dissolver. Insira o êmbolo (de cima para baixo!) e pressione-o para o café passar pelo filtro e cair diretamente na xícara. Fácil, não é?

Método invertido

Esse método consiste em, antes de iniciar a pressão, virar o êmbolo de cabeça para baixo, com ele já encaixado. Vire a cafeteira de cabeça para baixo e apoie-a no recipiente onde vai colocar seu café. Daí, é só pressionar a cafeteira. Esse procedimento vai fazer o café ser extraído com bastante intensidade e leveza.

Principais vantagens da cafeteira Aeropress

Ficou com vontade de ter a sua própria cafeteira Aeropress, né? Por isso, contamos as principais vantagens de ter uma em casa. É claro que a principal delas é o tempo de preparo. É possível ter o seu “cafezinho” pronto em questão de poucos minutos.

Além disso, ela possui um tamanho portátil, que permite guardá-la e transportá-la com extrema facilidade. Como já pontuamos, você pode usá-la para preparar seu café da forma que preferir: seja a tradicional, seja a invertida. A limpeza também é super-rápida e simples de se fazer.

Utilize os cafés especiais da Coffee ++ na sua cafeteira Aeropress

Independentemente do método escolhido, o resultado é um café saboroso e encorpado. Com os produtos da Coffee ++, você ainda garante notas sensoriais marcantes. Todos eles estão acima de 84 pontos na SCA (Associação de Cafés Especiais) e são feitos com grãos 100% arábicas, ou seja, garantem mais sabor e doçura, sem qualquer aditivo na composição.

Que tal experimentar o clássico da casa ou até aquele saborzinho do Cerrado Mineiro? Ele oferece notas de doce de marmelo e frutas amarelas. Se preferir, há também a Chapada e o Mantiqueira de Minas, além do Geisha, que é a bebida oficial da família imperial japonesa.