Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
colheita de café

Entenda como é feita a colheita de café especial

Tudo é feito pelas pessoas certas no lugar certo, com muita paixão por aquilo que fazem. É por isso que a colheita de café é tão especial quanto a bebida que você tem aí na sua xícara. É a partir dela que começa todo o processo para manter os atributos sensoriais dos grãos, para uma experiência única.

Você sabe como é feita a colheita do café especial (aquele que tem mais 80 pontos, nos critérios da SCA – Specialty Coffee Association)? Vamos contar tudo o que faz ele ser bom demais da conta. Vai preparando seu cafezinho e o pão de queijo para viajar nessa história com a gente!

Tipos de colheita de café

Na hora de fazer a colheita de café, o produtor pode escolher a mecanizada ou a manual (ou as duas). Ambas tem suas características próprias, mas o resultado é o mesmo: um cafezão bom demais. Vamos te explicar um pouco mais sobre cada uma delas a seguir:

Mecanizada

Na colheita mecanizada de café, como o próprio nome já sugere, a máquina entra na lavoura e vai pegando todos os frutos. Nesse caso, ela colhe todos os tipos de café, desde os mais madurinhos — o famoso “cereja” — até um bocadinho dos mais verdes, boia e boinha.

O café verde é o fruto que ainda não está maduro e não é usado na torra para produzir um café especial, apesar de ter benefícios interessantes para a indústria farmacêutica.

Já o boia é aquele que, ao ser colocado no separador hidráulico (uma máquina para medir a densidade de cada fruto), flutua. Isso indica que ele ainda está imaturo, seco ou brocado.

Manual ou seletiva

Já na colheita de café manual ou seletiva, a ideia é catar só café madurinho. Aqui, pessoas especiais selecionam os frutos mais maduros que, consequentemente, têm a concentração de açúcar mais uniforme. Qual é o resultado? Uma explosão de sabores no seu paladar, meu companheiro(a).

Aliás, panhar café manualmente aumenta bastante as chances de fazer um café 90 pontos, viu? Inclusive, um dos produtores da Coffee ++, Ricardo Tavares, produziu, em 2018, na Fazenda Primeira (na Chapada de Minas) o Melhor Café do Mundo, pelo campeonato Cup of Excellence, com a marca de 93,89 pontos.

Época de colheita do café: quando a panha é feita

colheita de café

Porém, para chegarmos na colheita de café, muito foi feito antes, sabia? Afinal, o grão do café é uma flor e, como tal, passa por todo um ciclo até chegar no grão madurinho a ser colhido para produzir a bebida.

Vamos voltar lá para a época em que as flores surgem e colorem o cafezal, com tons brancos que contrastam com o verde das plantas. Isso acontece por volta de setembro, justamente o mês em que se inicia a primavera.

Depois de cerca de sete dias, as flores murcham e dão origem aos frutos do café, começando pelo “chumbinho” (grãozinho verde que nasce no ramo). Por um longo período, o grão passa por um processo de enchimento, ou seja, ele vai sendo nutrido pela água e pelo adubo — as chuvas do verão no início do ano ajudam muito nessa fase.

Quando é a época da colheita do café, então? Nas principais regiões produtoras de café no Brasil, a colheita se inicia entre junho e julho. Mas no café especial acima de 84 pontos, a colheita só é realizada com grãos bem madurinhos. O produtor analisa a qualidade da “mucilagem” (ou seja, o caldinho que fica na fruta).

A safra de café: quanto é colhido no ano

Por falar em safra de café, você sabia que o Brasil é o maior produtor da bebida no mundo? Pois é, em 2020, a produção foi de 63,08 milhões de sacas, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), sendo que cada uma delas equivale a 60 kg. É muito café bom saindo daqui, não é mesmo?

Se você quer entender quantas colheitas de café por ano são feitas, saiba que a tendência é aumentar. Segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a temporada de 2020/2021 deve atingir 175,5 milhões de sacas de café, um aumento de 7 milhões em comparação com 2019/2020.

Inclusive, o Brasil é o maior exportador de café no mundo, representando um terço da produção mundial da bebida. É por isso que a Coffee ++ defende o consumo de café especial pelos brasileiros, para todos conhecerem as riquezas e os atributos tão valiosos dos cafés produzidos em nossa terra.

Experimente o café colhido por pessoas especiais

E aí, já experimentou um café especial? Na Coffee ++, você tem a chance de saborear cafés de diferentes regiões, como o Chapada de Minas, Mantiqueira de Minas e o Cerrado Mineiro, além do Geisha, o mais valioso do mundo, e do Clássico, que possui notas sensoriais achocolatadas e de doce de leite.

Todos eles têm diferentes versões: em grãos, moído, em cápsula compatível com a Nespresso, e o drip coffee, para coar onde você quiser. Confira e junte os amigos para uma experiência única e especial!