Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
cheesecake de café

Aprenda como fazer um delicioso cheesecake de café!

Ele não é muito doce nem sem graça. O ponto da massa acompanhado da crocância da parte de cima são marcas de uma das receitas mais bem avaliadas da confeitaria. Já descobriu de quem estou falando? Trata-se do cheesecake, que pode surgir como um maravilhoso cheesecake de café. Você sabia?

Por questões óbvias, vamos falar dessa sobremesa de café, até por toda a nossa ligação com as lavouras e para apresentar soluções diferenciadas para surpreender a visita no domingo à tarde. Antes de mais nada, vamos ao contexto histórico para sabermos sobre o surgimento desse doce.

Qual é a história do cheesecake?

O termo tem origem na língua inglesa e se referia originalmente a um doce construído a partir de camadas de biscoitos macios adoçados. Além disso, entre as camadas, coloca-se um creme preparado com ovos, açúcar, frutas, café ou aromas e a massa (feita à base de ovo).

Essa gostosura é antiga, e os registros mostram que o cheesecake foi encontrado pela primeira vez há 2.000 a.C. ― bem antes do nosso cafezinho, hein, que foi descoberto na Etiópia em 575 d.C. Contudo, o doce que apreciamos hoje em dia é bem diferente e só tomou forma no século 18.

O cheesecake pelo mundo

Nessa época, os ingleses decidiram experimentar bater os ovos no lugar do fermento para inovar o preparo de pães. Assim, chegaram a um novo formato que mais parecia uma sobremesa. Os europeus levaram a descoberta para a América, lugar da receita de cheesecake original.

Nos Estados Unidos, o doce se disseminou. A receita de cheesecake, então, leva cream cheese. Esse toque resulta em um formato muito macio e apreciado por diferentes paladares ― ideal para a harmonização com um cafezinho especial.

cheesecake de café

Como preparar um cheesecake?

Já que falamos de café, vamos direto ao passo a passo de como fazer cheesecake de café especial delicioso e de um jeito bem simples. Acompanhe para colocar a receita e as dicas em prática.

Essa receita de cheesecake fácil começa com a escolha da qualidade do café utilizado para o recheio. Assim, a sobremesa não terá resultado com amargor. Vamos lá?

Cheesecake de café especial

Ingredientes da massa

  • 300 g de bolacha tipo Maisena;
  • 100 g de manteiga;
  • 75 g de açúcar mascavo.

Ingredientes do recheio

  • 230 g de cream cheese;
  • 100 g de creme de leite fresco;
  • 10 g de gelatina em pó;
  • 1 lata de leite condensado;
  • 100 ml de água filtrada;
  • 3 colheres de sopa do café moído Cerrado Mineiro.

Ingredientes da cobertura

  • 100 g de chocolate meio-amargo;
  • 1 colher de sobremesa de café moído Cerrado Mineiro;
  • 1 colher de manteiga;
  • ½ caixa de creme de leite fresco.

Modo de preparo

Para começar, triture bem os biscoitos de maisena até formar uma espécie de farofa. Em seguida, utilize essa farofa para forrar o fundo do tabuleiro. Use uma forma com fundo removível para facilitar todo o trabalho.

Em outro recipiente, bata o creme de leite, o leite condensado e o pó de café. Acrescente a água e a gelatina hidratada na água, bata bastante até formar um creme homogêneo. Então, coloque a mistura em cima da forma com o fundo coberto pela “farofa” de biscoito.

Leve ao freezer até endurecer. Para a cobertura, coloque a manteiga na panela, depois o chocolate e derreta a barra. Coloque o café e finalize com o creme de leite
fresco.

Os cafés acima de 84 pontos

Agora que você já sabe como preparar um cheesecake de café, chegou a hora de apreciar um café superespecial acima de 84 pontos. Na Coffee ++, todos os cafés são cultivados por produtores campeões de qualidade segundo o Cup of Excellence: Gabriel Nunes, Ricardo Tavares e Luiz Paulo Pereira.

Ricardo Tavares

Produzido na região da Chapada de Minas, esse café tem notas acima de 84 pontos, notas de frutas secas e baunilha. O produtor ganhou o título de melhor café do mundo em 2018, com a variedade Geisha. Aliás, esse café foi escolhido como bebida oficial pela exigente família imperial japonesa.

Gabriel Nunes

Gabriel Nunes é formado em agronomia e tem como grande escola a fazenda de café. O jovem produtor “nasceu embaixo do pé de café” e ganhou autonomia do pai para idealizar os experimentos na propriedade da família. O resultado é um café com pós-colheita impecável, muita doçura e leveza.

Luiz Paulo Pereira

O produtor do microterroir de Carmo de Minas é o dono de café mais pontuado do mundo. Luiz Paulo e a família ganharam esse título em 2005 e até hoje não foram batidos. Por aqui, o café tem notas de frutas roxas, muito sabor, aroma e equilíbrio.