Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
história do café

A história do café e a construção social guiada pelos grãos

O café é o seu melhor jeito de começar o dia? Então, começamos muito bem a nossa relação, mas você já pensou sobre como iniciou a história do café? Surpreendentemente, não existem relatos oficiais sobre a origem dos grãos. Contudo, existe um caso bem legal, que vamos contar a seguir.

Segundo alguns pesquisadores, a origem do café é antiga e ocorreu aproximadamente em 575 d.C., quando um pastor chamado Kaldi levou cabras para caminharem no alto de uma montanha em Gimma, na Etiópia.

Aliás, os desenhos das cordilheiras da região contam tudo sobre a história do café. Nas montanhas de Gimma, as árvores e plantações eram deslumbrantes. Aquele local tinha de tudo, era um paraíso ideal para um bom descanso, então o pastor fez isso e dormiu.

Conheça a origem do café

Quando acordou, os animais estavam diferentes e muito animados. Kaldi buscou saber o que havia acontecido e encontrou frutas no meio das florestas. Assim, ele entendeu qual a origem da árvore do café.

Imediatamente, o pastor cortou um galho e levou para o respeitado sacerdote Wise, a fim de entender o que aqueles ramos significavam de fato. A solução do líder da aldeia foi cozinhar aquelas frutinhas cheias de caldo. Porém, o gosto foi tão amargo que ele jogou a planta no fogo.

O perfume subiu e invadiu cada canto da aldeia, então descobriram que torrar as sementes no fogo gerava uma infusão estimulante. Decidiram que a descoberta seria denominada “bunna” (que significa café) e, como resultado de toda a energia da descoberta, transcreveram a Bíblia.

Isso é o que eu chamo de café com história. Concorda? Na Etiópia, ao longo dos anos, o café se tornou parte de um ritual bonito, um momento mágico de conexão com a ancestralidade.

A história do café no Brasil

história do café

No Brasil, essa ligação não foi diferente. Inclusive, o cheiro da bebida é uma linda materialização de memória afetiva. Esse aconchego do café é a base de construção da história do café no Brasil e no mundo.

Os relatos oficiais mostram o estado do Pará como porta de entrada dos grãos. De acordo com especialistas, isso começou em 1721. Porém, a primeira exportação foi acontecer anos depois, em 1732, na região Norte do Brasil.

Nessa época, o interesse do plantio de café se restringia aos lados do Ceará e da Bahia. Enfim, quando o cultivo se iniciou no Rio de Janeiro, em 1760, o cenário mudou; e o desbravamento irradiou a muitos estados, criando parte da história do café no Brasil.

A construção do café na história do Brasil


Antes restrito ao norte do país, o cultivo passou a ser fomentado economicamente em vários locais brasileiros. Inclusive, houve grande potencial em São Paulo, assim as mutações surgiram a partir de cruzamento natural com variedades exigentes na lavoura.

Essa construção transita pelos processos sociais do Brasil. Prova disso é a história do café colonial. Nessa época, o manejo era feito por escravos, enquanto o beneficiamento dos grãos (tirar as cascas do café) era realizado com uma máquina de pilões que funcionava pela força da água ‒ algo parecido com moinhos, sabe?

Depois disso, as sacas de café eram colocadas nos lombos das mulas, viajavam até o porto do Rio de Janeiro e de lá ganhavam o mundo. Dessa forma, durante os séculos 19 e 20, o café foi o principal responsável pela sustentação do Império do Brasil e da República.

O Brasil colônia e o plantio de café

Foram os próprios fazendeiros e comerciantes que iniciaram, na história do café, o plantio nas lavouras brasileiras. Essas pessoas haviam juntado bastante dinheiro desde a chegada da Família Real ao Brasil. Desse modo, os fazendeiros eram conhecidos como “Barões do café”, nos anos 1836 e 1837.

Em 1845, o Brasil era responsável por 45% da demanda de exportação de café no mundo. O plantio nas lavouras era muito rentável, por isso o café tomou o lugar de exportação do açúcar ‒ até então o produto mais exportado durante o Império.

A potência do café brasileiro

A história do café foi tão fundamental para o contexto político brasileiro que a política do Café-com-Leite foi um revezamento de poder à frente da presidência entre São Paulo e Minas, os principais estados produtores do Brasil. Isso até vale um texto, que em breve vou escrever para você. Prometo não esquecer!

Hoje, o café brasileiro é reconhecido em todo planeta pela qualidade dos grãos. Além disso, o país concentra a maior produção do mundo nas regiões cafeeiras, o que significa ⅓ da produção mundial. Coisa demais, né?

Os grãos especiais são reconhecidos pela diversidade de notas sensoriais potencializadas pelo trabalho especial do produtor. Essa grande diversidade é representada pela Roda dos Sabores, que mostra todo o caminho e as particularidades que circulam o mundo especial da Coffee ++.