Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
Fatia de bolo com cobertura de glacê de café

A versatilidade do glacê de café: aprenda a história da receita!

Ao longo da história, a confeitaria mundial passou por diversas transformações. Nesse cenário, alguns formatos diferenciados de doces e bolos surpreendem pela evolução. Contudo, o glacê é uma estratégia que segue ativa. O glacê de café é uma cobertura usada em muitas criações da cozinha e faz parte dessa evolução.

Porém, para entender a trajetória da receita, vamos falar da criação que se tornou popular. As primeiras versões de glacê surgiram na Europa, em 1600. Desde o nascimento, tornou-se um clássico da culinária. Para saber como fazer glacê, basta ter um pouco de atenção, já que não há muitos segredos no preparo. Veja a seguir:

Ingredientes do glacê

  • 1 copo de clara de ovos;
  • 2 copos de açúcar;
  • ½ colher de suco de limão.

Modo de preparo

Misture as claras ao açúcar, leve ao fogo banho-maria e deixe esquentar por aproximadamente 10 minutos. Em seguida, coloque a mistura já aquecida na batedeira em alta velocidade e acrescente o suco do limão. Bata até a textura ficar firme e cremosa.

Essa receita de glacê básica, que começou a ser usada por volta do século 15, evoluiu e serviu de base para variações. Tanto é que a mistura antiga foi usada em grandes eventos, como casamentos reais e festas da Coroa.

Nesse tempo, o glacê era predominantemente branco, até por referência ao casamento. Na confeitaria, ele sempre foi usado como cobertura de bolos e biscoitos, com a intenção de deixar as receitas mais vistosas. Aos poucos, ele se tornou base para movimentos mais artísticos.

O surgimento da cobertura de café

Com isso, a receita passou a ser adotada por confeiteiros de todo mundo e, entre as variações do preparo tradicional, surgiu a cobertura de café. O preparo não diverge muito do formato tradicional. A grande diferença, nesse caso, é o sabor do café que harmoniza muito bem com diferentes receitas.

Para a cobertura de café para bolo, o grande segredo é a qualidade do café coado para a mistura. O chocolate amargo serve para harmonizar o glacê e pode ser servido de diversas formas. O bolo de chocolate é um bom exemplo dessa combinação e da harmonização de sabores da receita.

Bolo inteiro com cobertura de glacê de café

Ingredientes do glacê de café

  • 3 xícaras de açúcar de confeiteiro;
  • ½ xícara de café Ricardo Tavares coado;
  • 5 colheres de sopa de manteiga;
  • 2 colheres de sopa de creme de leite;
  • ½ xícara de chocolate meio amargo picado.

Modo de preparo

Para começar, faça uma mistura com açúcar, café, manteiga, creme de leite e chocolate amargo em uma tigela e leve ao banho-maria. Mexa bastante com o fouet por aproximadamente 3 minutos.

Depois disso, você terá uma cobertura homogênea pronta para ser usada em temperatura ambiente. Feito isso, use as raspas de chocolate no glacê de café e utilize para decorar bolos, biscoitos e outras receitas da confeitaria.

Cobertura de cappuccino

Para quem gosta de variar sabores, a dica de ouro é a cobertura para bolo de cappuccino. O gostinho agrada e entrega um equilíbrio sensorial que deixa qualquer receita glamourizada. A calda de capuccino é bem simples, assim como a cobertura de café, e pode ser a solução do café da tarde para a família.

Como preparar a cobertura de capuccino

Faça um cappuccino original: use 180 ml de café espresso e misture em ½ xícara de leite vaporizado. Em seguida, no cappuccino, misture uma lata de leite condensado, duas colheres de manteiga com sal e uma caixa de creme de leite. Por fim, use chocolate em pó para equilibrar o sabor da receita.

Chantilly de café

Outra receita que tem nosso amado cafezinho como protagonista é o chantilly de café. Na prática, a regra da receita é muito simples. Inclusive, ela lembra o glacê de café. A principal diferença está na textura que, nesse caso, apresenta aspecto muito homogêneo.

Essa gostosura agrada a quem gosta de versatilidade no café. Tanto é que, em muitas cafeterias, o chantilly com café surge como pedido oficial de quem gosta de viver novas experiências com o café.

Os sabores peculiares do café especial

Contudo, para quem ama o sabor original do café e não gosta de variações, o café especial é a escolha certa. Isso porque os grãos apresentam doçura natural, equilíbrio de acidez e aspectos sensoriais diferentes em cada bebida.

Um bom exemplo disso é a variedade Geisha, que ganhou o título de Melhor Café do Mundo, em 2018. O café cultivado no Brasil, na região da Chapada de Minas, ganhou o título e ficou à frente de todos os cafés do mundo, o que comprovou a qualidade do cultivo realizado nas lavouras brasileiras.

Você consegue comprar o Geisha campeão mundial. Esses grãos, ao longo da história, eram totalmente exportados. Contudo, a Coffee ++ foi criada com o objetivo de deixar os cafés de extrema qualidade no Brasil, para os brasileiros. Viva essa experiência!