Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
Conheça o Café Bourbon

Conheça o café Bourbon!

Você já ouviu falar da variedade de café Bourbon? Gosta da bebida? Pois é melhor você acompanhar este texto e entender mais dos grãos famosos em todo mundo. Esse café tem o doce como marca e isso se comprova logo no primeiro gole. Por isso, o café Bourbon é um dos mais potentes do mundo. Mas como a história desses grãos começou? Saiba a seguir.

Os primeiros pés de café que o mundo conheceu foram os da variedade Typica. Portanto, ela é vista como a “mãe” de todas as outras variedades de café arábica que surgiram. Entre elas, o café Bourbon merece destaque.

O grãos de café Bourbon contam com aspectos naturais potentes. Contudo, o respaldo da qualidade vai além e é mundial. Tanto que a respeitada organização agrícola World Coffee Research deixou isso claro em comunicado. De acordo com a entidade, o café Bourbon é uma das “variedades culturalmente e geneticamente mais importantes do mundo”. 

Conheça o café Bourbon: um dos mais importantes do mundo

Nesse cenário, tudo se confirma na xícara. Até porque, a experiência se inicia com o sabor adocicado da bebida. Já que os grãos de café Bourbon transitam pelos sabores acentuados de chocolate e avelã. Além disso, conta com baixa acidez, corpo médio e boas doses de doçura. 

O café Bourbon chega com muito equilíbrio na xícara. Segundo pesquisadores, a origem de cultivo foi o Iêmen, no século 18. Nessa época, o mundo vivia em constante movimento de transporte e migração. Mas os missionários do café (navegantes e desbravadores de novas terras) deram o jeito de espalhar o café Bourbon pelo mundo.

A origem do grão da ilha de Bourbon

Os holandeses levaram a variedade de café Typica para o Sudeste da Ásia. Enquanto os franceses carregaram os grãos de Typica à paradisíaca Ilha de Bourbon (que hoje se chama Réunion). O local exuberante fica na Costa Leste africana, em Madagascar e foi o lugar de crescimento dos grãos. Assim, o café se conectou com a ilha e cresceu com as características determinantes daquele terroir. Então, foi batizado como Bourbon.

Os missionários da França fizeram o trabalho de #cafequizar o mundo com os grãos famosos na ilha. Ou seja, disseminaram o consumo daquele café em todo o continente africano, assim como nas Américas. Não precisou muito esforço, já que na boca o café Bourbon atestava o motivo de ser considerado um dos melhores do mundo.

No Brasil, o casamento sadio da planta com boa parte do terroir tem no clima o embasamento de uma relação duradoura. Um relacionamento antigo, que se iniciou em 1859. Tudo começou quando o governo do Brasil se movimentou. A proposta foi articular uma inovação cafeeira. O café Bourbon foi bem escolhido. Com toda certeza, a ideia de espalhar a semente para produtores de vários lugares do país deu certo com as lavouras brasileiras.

O café Bourbon e a beleza das cores

O relacionamento do café Bourbon com o Brasil sempre foi intenso. Tanto que, em 1930, o Instituto Agronômico (IAC) ficou com a missão de aprimorar o café trazido da ilha africana. Portanto, a proposta foi  bem-sucedida. Inclusive, hoje em dia, os grãos florearam em todo o Brasil. Mas você sabe que na lavoura os frutos desse café têm cores variadas? Os frutos maduros podem surgir nas cores de amarelo, rosa (ou alaranjado) e vermelho.

As cores na lavoura e os frutos de café

Mas qual a diferença das cores do café Bourbon? O Bourbon vermelho é o primogênito de todo esse encantamento nas lavouras. Os pés altos desse café chegam até 3m de altura. Enquanto, os frutos pequeninos parecem pinturas no meio do verde brilhante das folhas. Tudo isso com uma beleza que vem como agradecimento de um cultivo cuidadoso de uma variedade sensível e pouco resistente às pragas.

Fazenda Jaguara – Campo das Vertentes – Produtora de Café Bourbon

Saiba mais sobre o Bourbon rosa!

Entre todas as mutações naturais do Bourbon, o destaque vem com o café Bourbon rosa (ou laranja, como alguns preferem). A relação com o café é de sabor e isso surge instantaneamente.

A diversidade de cores dos grãos na lavoura ocorre de maneiras diferentes. Sendo que os tons dos frutos dependem do processo de maturação no pé. Para se ter uma ideia do contexto é importante entender que o terroir entregará nuances específicas para cada grão. 

O cultivo na sombra é outro ponto a se considerar. Pois é assim que os frutos estarão completamente maduros e colhidos no estágio ideal. O irmão sofisticado da família do café Bourbon tem na cor dos frutinhos os parâmetros iniciais que impressionam. 

O Bourbon rosa é uma variedade da Colômbia. Enquanto madura, apresenta nitidamente cores de laranja bem rosadas. Assim, esse café surge como presente de degustação. A concentração de glicose (assim como ocorre com o vermelho) rende um café mais sedoso, como se a bebida abraçasse toda a sua boca.

Qual a origem do café Bourbon amarelo?

No Brasil, os primeiros pés do café Bourbon amarelo foram encontrados em 1930, em São Paulo. Esse início do trabalho foi realizado pelo doutor Carlos Arnaldo Krug, em Pederneiras, São Paulo. Entretanto, ainda assim, a descoberta do Bourbon amarelo não exata. Ainda assim a figura de doutor Carlos tem grande importância e foi essencial para disseminação desse café no país.

Para alguns, o nascimento veio a partir da mutação natural na lavoura entre os grãos de Bourbon vermelho. Outros pesquisadores acreditam que a mutação dos frutos amarelos foi entre os grãos de Bourbon vermelho e Amarelo de Botucatu.

Conheça o Café Bourbon
Bourbon Amarelo

O café Bourbon amarelo tem a cara do Brasil

Teorias à parte, o consenso vem quando se fala das projeções sensoriais no paladar, afinal, fazem desses grãos uns dos melhores de todo o mundo. Tudo isso é percebido muito rapidamente na boca, com doçura marcada, suavidade e pouca acidez. 

O aroma é forte e gostoso. Além disso, o gostinho lembra claramente cereais e avelãs. Na lavoura, a maturação costuma ser precoce e variar de 20 a 30 dias. Mais suscetíveis à ferrugem, esses grãos pedem carinho e cuidado do produtor – caminho essencial, assim como o criterioso processo de pós-colheita.

Trata-se de um trabalho que rende sensações comprovadas na boca. São fatores que elevam essa variedade aos patamares de doçura bem elevados. Tal fato ocorre muito pela baixa quantidade de ácido oxálico. De acordo com especialistas, têm ligação direta à suavidade da bebida.

Então, ficou com vontade de conhecer os prazeres desse grão? Conheça o café Bourbon amarelo, que veio direto de Carmo de Minas, com notas de frutas roxas. Além disso, tem como ponto alto o cultivo produtor pelo Luiz Paulo Pereira. Sabe quem é ele? O recordista mundial em qualidade de café, além de ser o embaixador brasileiro do café especial pelo planeta. 

Luiz Paulo e Tio Chico Pereira são produtores da região da Mantiqueira de Minas, em Minas Gerais. A família foi pioneira na divulgação do café brasileiro, no Japão