Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
Tradição do café brasileiro: família na lavoura de café

O café é tradição no Brasil: família e legado das lavouras

Pensar especial é uma das engrenagens que me trouxe aqui. Até porque, café lá em casa sempre foi motivo de acolhimento e aconchego. Desse modo, como nos 98% dos lares brasileiros, café é tradição no Brasil na minha família.

O coado da minha avó dona Maria foi o perfume principal da minha infância. Inclusive, essa memória afetiva ligada ao café é o condutor da minha minha caminhada.

Confesso que por um grande tempo eu até tentei esquecer o cheiro dos grãos, que sempre me conduziu. Foi assim que busquei outras formas de respiro. Mas foi impossível.

Para ilustrar, as lavouras de café foram o meu grande refúgio. Sendo que, aquele mundão de café na roça foi o plano de fundo de tudo que me trouxe até aqui.

Café é tradição no Brasil

Na verdade, acredito que todos os lugares que passei foram conduzidos para que eu chegar até aqui. Certamente, desde muito cedo, a veia empreendedora pulsante me remexia.

Por isso, fiz algumas andanças: fui especialista em lavar carros, com um lava-jato; caminhoneiro e centro da logística com a transportadora. No entanto, o café me arrastou para a minha origem na roça e empreender nesse mercado se tornou minha escolha.

Primeiramente, costumo falar que toda essa herança foi um presente no DNA. Em outras palavras, cresci com grandes exemplos no quintal de casa – meu pai, Ricardo, e meu avô Aprigio.

O legado de Aprigio Tavares

Meu avô Aprigio Tavares iniciou todo o trajeto no mundo do café no dia 6 de outubro, de 1953. Aliás, esse movimento de resistência mostrou a força quando ele decidiu pegar as rédeas de comando da indústria de café Três Corações, em 1984.

A opção foi a única maneira que meu avô encontrou de salvar o patrimônio da família. Em seguida, no alto dos 22 anos, meu pai não teve dúvidas: encarou aquele desafio. Eu sempre fiquei encantando com a sincronia da caminhada dos dois.

Nesse sentido, todo aquele trajeto veio como inspiração. O aprendizado surgiu na prática e a condução era realizada a partir do reflexo das ações.

Lembro-me de um certo dia que nunca saiu da minha cabeça. A fábrica da Três Corações ficava localizada na região metropolitana de Belo Horizonte, em Santa Luzia. Meu avô era um dos primeiros a chegar à indústria.

Tradição de café no Brasil: o maior produtor do mundo

Leo na lavoura
Leo Montesanto: “As lavouras de café sempre foram o meu refúgio.”

De maneira idêntica, ele cumpria o ritual, tomava o café. Certo dia, eu decidi que queria fazer parte daquele mundo. Nessa época, eu devia ter uns 10 anos, mas queria trabalhar com ele. Minha intenção era a de entrar na indústria e participar de cada etapa.

Aprigio [Tavares] concordou [risos]. Meu avô é fantástico, amoroso, mas o papo dele sempre foi direto. Marcamos o horário. Combinamos que ele me pegaria para o início da minha vida trabalhadora. Acordei meio lento e demorei um pouco para descer. Marcamos, às 6h, e eu estava na porta de casa, às 6h05.

Eu olhava os carros que passavam pela rua e fiquei à espera do meu avô. Surpreendentemente, o tempo passou e ele não chegou. Então, voltei frustrado para casa. Até que, mais tarde, fui firme em busca de explicação sobre o que tinha ocorrido mais cedo.

Empreendedorismo na prática

Nunca vou me esquecer daquele olhar. Antes de mais nada, ele respirou fundo e falou, sem modificar muito o semblante, que eu não estava pronto no horário marcado. Eu até tentei argumentar, mas ele estava convicto, além de certo.

Não se tratava apenas de uma falha no horário. Tínhamos um compromisso, havia dado a minha palavra e acordado com ele. Com toda a certeza, palavra dada sempre foi o contrato firmado lá em casa. Legado das lavouras, que surgia em cada grão de café como tradição de amor.

Tanto que, dessa maneira, esses ensinamentos foram os fios que se cruzaram e me trouxeram até aqui. É verdade que passei por muitos lugares, briguei com o café e tentei encontrar alternativas que não trouxesse o grão como protagonista.

O protagonismo da tradição do café brasileiro

Não adiantou [risos]. Em resumo, o café sempre dava um jeito de mostrar a tradição de amor. Dessa forma, mostrar que negar toda a minha trajetória não seria uma saída. Portanto, cheguei até aqui movido a desafios.

Esses desafios foram grandes, bem como a carga de aprendizado. Quando assumi ao cargo de CEO das fazendas do Grupo Montesanto, eu juntei a turma toda no terreiro de secagem de café e falei em alto bom som: “Sabe qual a minha vantagem em relação a vocês? Eu não sei nada, então eu posso perguntar tudo.”

Afinal, esse sentimento é o que me impulsiona todos os dias a levantar da minha cama. Gosto de aprender, seja sobre o processo de pós-colheita do café quanto aos tramites da venda on-line. Desse modo, com a Coffee ++ o ritmo não é diferente. Há 15 dias, colocamos o pé no acelerador e materializamos um sonho.

Café especial brasileiro on-line

Inegavelmente, eu sou movido a desafios. Portanto, minha grande missão é que o brasileiro tome café superespecial. Para ilustrar, quero que o nosso povo tenha contato com os grãos que o gringo tanto valoriza e sorri quando a xícara chega ao paladar.

Por isso, cafequizar se tornou um verbo de ação nos meus dias. Quero compartilhar um pouco daquilo que aprendi nas lavouras. Igualmente a isso, mostrar na prática todo o acolhimento de um café acima de 84 pontos.

Eu sou apaixonado pelo mundo do café especial. Fico emocionado com as histórias das lavouras e sempre encontro felicidade na xícara. Hoje, ao lado dos meus grandes amigos Pedrinho e Rafa, conseguimos materializar o sonho de deixar no Brasil o café brasileiro.

Lutamos contra a burocracia e nos movimentamos. Defendemos que café é tradição no Brasil. Para muitos, essa construção pode até ser utópica. Entretanto, o que pulsa firme no nosso sangue é o amor pelo café.

O potencial do café especial brasileiro

Somos o principal produtor do mundo, ou seja, a principal lavoura do planeta. Por aqui, seguimos apaixonados e com toda a certeza que o melhor jeito de tomar café é aquele que te deixará mais feliz.

Então, quero te fazer um convite. Pegue seu cafezinho, respire fundo e se lembre das principais memórias afetivas que essa bebida traz para você. Essa é toda a nossa tradição de amor. Saúde e seja (sempre) bem-vindo ao nosso mundo ++ especial.

Bons cafés.

Leo Montesanto, fundador da Coffee ++

O sorriso leve e a paixão em falar de café especial são as primeiras impressões de Leo Montesanto. Pai de três filhos, ele cresceu no mundo do café, mas preferiu passar por outros locais até chegar à Coffee ++. Em 2018, ele ganhou, com o café da fazenda Primavera, o título de melhor café do mundo, pelo Cup of Excellence. Por aqui, Leo sempre estar pronto para um cafezinho, boa conversa e para te #cafequizar.