Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
outubro rosa

Outubro Rosa: solidariedade, cuidado e prevenção ao câncer de mama

Este mês traz uma das campanhas mais importantes do cenário da saúde mundial: o Outubro Rosa é um movimento internacional, que mostra a necessidade da prevenção ao câncer de mama. A proposta é impulsionar mulheres a buscar atendimento e fazer o autoexame uma rotina.

O início da campanha Outubro Rosa foi tímido e apenas alguns estados americanos aderiram à ação. O cuidado com a saúde feminina ainda era um tabu na comunicação e estava longe de ser uma prioridade para o Estado.

Contudo, após o engajamento do Congresso Americano e a aprovação da lei, o mês se tornou oficialmente o Outubro Rosa. Isso ocorreu na década de 1990, depois que a respeitada Fundação Susan G. Komen for the Cure lançou a primeira Corrida pela Cura. Na ocasião, o laço rosa foi implantado como marca da iniciativa.

Desde então, o mês se tornou fundamental para a prevenção ao câncer de mama, a doença que tem mais ocorrências entre mulheres no mundo. Em 2020, foram aproximadamente 2,3 milhões novos diagnósticos de câncer de mama, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

O Outubro Rosa no Brasil

No Brasil, os números da doença também são altos, mas os casos se concentram nas regiões Sul e Sudeste. Segundo levantamento do Inca, em 2021, os números de novos casos de câncer de mama devem chegar a 66.280 mil mulheres. De tal maneira, o Outubro Rosa 2021 focou em mostrar para toda a sociedade quão necessário é o tratamento.

O Inca também afirma que a doença é a maior causa de morte entre as brasileiras, por isso a prevenção é tão necessária, bem como o tratamento direcionado. Aliás, esse é um dos focos do Hospital da Baleia, que fica em Belo Horizonte (MG). Por lá, todos os processos são constituídos a partir de humanização.

A instituição é reconhecida por oferecer tratamento respeitoso e criar conexões no Outubro Rosa, prevenção e muito cuidado, grandes missões do hospital. Ao longe dos 77 anos de história, o Baleia focou no atendimento de pessoas em vulnerabilidade social, com 95% dos atendimentos vindos do SUS.

O trabalho do Hospital da Baleia

Em 2020, foram mais de 500 mil procedimentos realizados e mais de 50 mil sessões de hemodiálises, além de quase 230 mil atendimentos. Porém, a conta financeira não fecha e, para se manter vivo (e ativo), o Hospital da Baleia conta com o carinho, a solidariedade e as doações dos brasileiros.

O trabalho da equipe é encantador, e o cuidado humanizado é percebido nos olhares de cada um dos pacientes que encontramos pelos corredores. O atendimento é amplo e chega a pacientes de 88% dos municípios de Minas Gerais.

Em relação à equipe, são 300 médicos e 900 colaboradores. Ela foi estruturada para atender mais de 600 mil procedimentos médicos por ano nos centros de especialidades diversas: nefrologia, cardiologia, pediatria, ortopedia, cirurgia metabólica e oncologia.

O início da trajetória do Baleia

Esse legado se iniciou pelo trabalho de Benjamin Ferreira Guimarães. Trabalhador, ele construiu um negócio no segmento têxtil, mas nunca acreditou em um processo de prosperidade individual. Tanto é que ele deixava claro para quem quisesse escutar que acumular riqueza não era uma finalidade de vida.

Com o passar do tempo e a tranquilidade financeira adquirida por Benjamin, ele decidiu traçar novos caminhos. Ele distribuiu metade da riqueza aos filhos e o restante foi direcionado a acolher os filhos do coração espalhados pelo mundo. Assim, ele criou uma rede solidária com a intenção de engajar a sociedade em prol de um projeto.

Ele doava o dobro do valor arrecadado pela comunidade para a idealização de um projeto coletivo. Desse modo, houve continuidade e envolvimento da sociedade em torno das obras. Basta caminhar por Minas para saber quão perene foi o legado de Benjamin em orfanatos, escolas, santas casas e asilos, por exemplo.

No caso do Hospital da Baleia, não foi diferente, com a idealização da Fundação Benjamin Guimarães, em 4 de julho de 1944. A fundação não visa lucro, e a verba arrecada é totalmente direcionada para pagamentos dos serviços, melhorias na estrutura, atendimento e ampliação.

Rede solidária para o tratamento de câncer

outubro rosa

Entretanto, para manter vivo todo o projeto idealizado por Benjamin, o Hospital necessita muito de uma rede solidária ativa. A Coffee ++ decidiu fazer parte das ações de Outubro Rosa e direcionar 5% das vendas feitas no e-commerce para apoio dos atendimentos.

O cafezinho será pessoalmente preparado pelo fundador da empresa, Leo Montesanto, que presenteará cada uma das participantes com um kit Coffee ++ da famosa variante Geisha. “Já separei o liquidificador e os grãos para preparar a bebida na hora, como deve ser”, falou.

Para Leo, café é uma referência de afeto, além de uma razão para sorrir e rememorar bons momentos. “É exatamente isso que espero levar às pacientes, que seja a primeira de várias ações junto ao Hospital da Baleia”, comenta Leo.