Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
café aromatizado

Café aromatizado: o que é e como fazer em casa?

Com certeza, você já deve ter esbarrado com o nome ou experimentado até o café aromatizado, certo? Esse conceito está cada vez mais comum no universo da bebida, inserindo aromas diferenciados no café tradicional para deixá-lo com um saborzinho especial.

Na prática, o café com aromas surge da inserção de essências que geram resultados surpreendentes ao paladar. Ele consegue agradar até aos mais exigentes, sendo uma ótima opção para quem gosta de se aventurar no universo do café, explorando novos sabores e sensações.

Por que o café aromatizado foi criado?

O café aromatizado foi criado para trazer novas essências às versões comercializadas por grande parte da indústria. Elas escondem o aroma e o amargor original, deixando o café mais saboroso e fácil de beber, já que, como boa parte da indústria carboniza os grãos na torra, o gosto de queimado é inevitável.

Porém, a existência de aromas no café está longe de significar que os grãos utilizados são necessariamente ruins. O café aromatizado esconde as impurezas e os defeitos no sabor, por isso é sempre válido identificar de onde os grãos se originaram.

O aroma de café pode ser adicionado tanto em cafeterias quanto em casa. É uma ótima opção para quem deseja explorar novos sabores e sair um pouco do convencional. Para quem não está inserido no universo dos #cafequizados, isso pode ser um excelente ponto de partida.

É importante ressaltar que esse tipo de bebida não se encaixa na categoria especial, pois tem origem em aditivos de sabor.

Aprenda a aromatizar o café em casa

café aromatizado

Agora que você já sabe o que significa esse estilo de café, deu vontade de aprender como fazer café aromatizado, certo? Tudo que você precisa para fazer o seu “cafezinho” em casa é, primeiramente, um porta-filtro e um filtro de papel. Dobre o papel para encaixá-lo no filtro e escalde-o.

Depois, utilize as medidas com que você já está acostumado para preparar o seu café coado. Porém, lembre-se de que, para cada 10 g de café, é preciso 100 ml de água. Antes de fazer a pré-infusão, acrescente o ingrediente desejado. Se for canela em pó, por exemplo, acrescente algumas pitadas a gosto.

Faça a pré-infusão do café durante 20 segundos. Nesta etapa, utilize cerca de 50 ml de água. Assim, você hidrata o café moído, que exala seu aroma na mesma hora. Não há nada melhor que sentir o cheirinho de café durante o preparo, não é?

Com a ajuda de uma chaleira, acrescente delicadamente o restante da água. Não tenha pressa! O resultado do café aromatizado fica ainda mais saboroso se for feito com calma e paciência. Molhe toda a superfície, faça movimentos circulares com a chaleira para fazer a água alcançar todo o café moído.

É possível acrescentar o ingrediente que você desejar na hora do preparo. Para um café aromatizado com chocolate, adicione raspas de chocolate antes da pré-infusão. O mesmo vale para gengibre, laranja, mel e extrato de baunilha, por exemplo.

Diferenças entre café especial e café aromatizado

Deu para perceber que aprender como aromatizar café é uma tarefa bem simples, não é? Todavia, sabia que esse tipo de café difere do café especial? A diferença entre os dois está na forma como se encontra o sabor, bem como nas etapas de cultivo, colheita e pós-colheita. Em outras palavras, como se insere o aroma.

No café aromatizado, essa característica é inserida após o processo de torra, conquistando um sabor mais artificial. Já no café especial, a inserção é natural, ou seja, surge a partir de reações químicas durante a torra. É um procedimento bem mais trabalhoso.

Conheça as notas sensoriais dos cafés especiais da Coffee ++

Aqui na Coffee ++, trabalhamos com a produção de cafés especiais com notas sensoriais e aromas inseridos diretamente no processo de torra do grão. Sendo assim, o gostinho especial é mais natural, proporcionando uma experiência sensorial de cair o queixo.

O Clássico da casa, como o nome já sugere, é o nosso “cafezinho” tradicional. Ele possui notas sensoriais achocolatadas, juntamente às de doce de leite e frutas secas. Já o café Chapada de Minas, do produtor Ricardo Tavares, traz notas que lembram baunilha e frutas secas.

Quer mais exemplos? O café Mantiqueira de Minas, do produtor Luiz Paulo, lembra frutas roxas e goiaba, enquanto o café Cerrado Mineiro, produzido por Gabriel Nunes, tem notas sensoriais de doce de marmelo e frutas amarelas.

Para finalizar, o Geisha, que é a bebida oficial da família imperial japonesa, surge com notas que lembram flores de jasmim e carambola madura, junto de uma acidez equilibrada de limão-taiti. Uma delícia, não é? Todos os nossos cafés são 100% arábica e avaliados acima de 84 pontos na SCA (Associação de Cafés Especiais).