Desde 1953 • Cafés SuperEspeciais
poemas sobre café

5 músicas, frases e poemas sobre café para os apaixonados pela bebida

Você já sentiu vontade de se declarar para um café? Aquele quentinho, saboroso, com aroma acolhedor que preenche toda a casa e te dá o ânimo necessário para suas tarefas diárias, sabe? Pois tem quem já fez isso por meio de músicas, frases e poemas sobre café.

Pois é, estamos falando de odes ou estrofes que tratam da experiência sensorial que o café é capaz de produzir desde o primeiro gole. Que tal conhecer alguns poemas sobre café e amor para guardar com você ou ler enquanto toma seu café especial favorito? Confira cinco poemas sobre café a seguir:

1. Café grave – Mario Quintana

“O café é tão grave, tão exclusivista, tão definitivo
que não admite acompanhamento sólido. Mas eu o driblo,
saboreando, junto com ele, o cheiro das torradas-na-manteiga
que alguém pediu na mesa próxima.”

Esse pequeno poema do Mário Quintana, um dos maiores poetas brasileiros, fala sobre os acompanhamentos que deixam o cafezinho ainda mais especial — no caso da ode, a torrada com manteiga (uma delícia para o café da manhã, hein?!).

Mas outras opções não faltam: pão de queijo, bolo de fubá, pão na chapa, biscoitos caseiros e muito mais. Além disso, a versatilidade do café pode transformá-lo em brownies, sorvetes, cremes, brigadeiro, entre outras receitas deliciosas (que você encontra em nosso blog também). Ah, e o café puro é tudo de bom também, como o próprio Quintana já fala.

2. Trem de ferro – Manuel Bandeira

“Café com pão
Café com pão
Café com pão
Virge Maria que foi isto maquinista?

Agora sim
Café com pão
Agora sim
Voa, fumaça
Corre, cerca
Ai seu foguista
Bota fogo
Na fornalha
Que eu preciso
Muita força
Muita força
Muita força

Oô…
Foge, bicho
Foge, povo
Passa ponte
Passa poste
Passa pasto
Passa boi
Passa boiada
Passa galho
De ingazeira
Debruçada
No riacho
Que vontade
De cantar!

Oô…
Quando me prendero
No canaviá
Cada pé de cana
Era um oficiá

Oô…
Menina bonita
Do vestido verde
Me dá tua boca
Pra matá minha sede
Oô…
Vou mimbora vou mimbora
Não gosto daqui
Nasci no Sertão
Sou de Ouricuri
Oô…

Vou depressa
Vou correndo
Vou na toda
Que só levo
Pouca gente
Pouca gente
Pouca gente…”

O poema “Trem de Ferro”, do ilustre Manuel Bandeira, foi escrito em 1936 e representa um retrato do povo brasileiro da época. O início do poema, “café com pão”, representa a dupla tradicional da alimentação brasileira. Mas a grandeza desse poema vai muito além disso.

Ele foi escrito no início da Revolução Industrial no Brasil, período em que o café brasileiro era um dos principais produtos exportados. O trem era o principal meio de transporte para fazer o escoamento da produção dos centros até as cidades portuárias.

Além disso, todo o ritmo do poema remete à velocidade, com repetições e versos curtos, fazendo analogia ao ritmo dos trens a vapor da época e a vida agitada nos centros urbanos.

poemas sobre café

3. Café, o poema do café – Tales Buonarotti

“Café de meia, de cafeteira
Tomo até de mamadeira

Café em grão, de verão
Secando ao Sol na fazenda do Barão

Café em pó, com pão e só
Cedinho na casa da vovó

Café expresso, de padaria
Com gosto de correria

Se o café (coitado) soubesse para onde iria,
Sequer ele nasceria.

Mas se não fosse a coragem do café,
Eu não estaria de pé! (Escrevendo poesia).”

Esse poema de café do músico Tales Buonarotti diz tudo sobre como é a nossa relação com a bebida: de muito amor, afeto e, é claro, de reenergização para começar bem o dia. Ele pode ser em grãos, moído, feito na cafeteira, no coador de pano ou de papel, acompanhado do pãozinho francês ou puro na correria. Nós nos identificamos, e você?

4. Frase de Immanuel Kant sobre café

“A amizade é semelhante a um bom café; uma vez frio, não se aquece sem perder bastante do primeiro sabor”, disse o filósofo prussiano Immanuel Kant. E não é que ele tem razão? Essa é uma das frases com café que representa o que defendemos com os cafés especiais.

Já falamos várias vezes aqui, em nosso blog, que para o sabor e o aroma do café serem preservados por mais tempo, nada melhor do que aproveitar a bebida logo após o preparo. Mas ó, não deixe a água ferver, para, assim, realçar os atributos sensoriais do grão, ok?

5. Café – Jorge Ben Jor

Sabia que também existem músicas sobre café? O cantor de MPB Jorge Ben Jor canta, em sua música intitulada “Café”, sobre a história do grão no Brasil, enquanto pede um “cafezinho” para a pessoa amada. Olha só um trecho da canção:

“Meu amor meu amor
Me faz um cafezinho
Com aroma e com carinho
Meu amor meu amor
Me dá um cafezinho
Com açúcar e com beijinhos
Café!

O preto que virou ouro
Nas terras do Salgueiro
Em 1727 um nobre
Chamado Palheta
Trouxe a cultura do café
Para o Brasil
Depois vieram os barões
do café
Um cartel que mandava
Queimava, jogava fora
Mas não dava.”

Aprecie os poemas e músicas ao lado de um café especial

É claro que existem várias outras músicas, poemas e frases famosas sobre café incríveis. Essas são só algumas de nossas favoritas. Para apreciar essas artes, nada melhor do que passar um cafezinho delicioso, não é mesmo? A nossa dica é apostar no café especial.

Estamos falando de uma bebida com mais de 84 pontos na avaliação da Specialty Coffee Association (SCA), classificada a partir de critérios como acidez, doçura, uniformidade, aroma, fragrância e finalização. O que isso significa, afinal? É uma verdadeira explosão de sabores na sua boca desde o primeiro gole!

Então, aproveite para conhecer os cafés especiais da Coffee ++ e garanta o seu: temos desde o clássico, com notas de chocolate e doce de leite, até o Geisha, o mais valioso do mundo com notas de flores de jasmim e carambola.